sábado, 12 de abril de 2008

meravigliosa...

Descia o Chiado
A passo acelerado,
Saudoso do Tejo

De repente, te vejo
Na nesga dum cotovelo

Compunhas o cabelo
De encontro à montra

E eis que – coisa tonta!
O manequim acordou
E mandou-te um beijo

Não acredito no que vejo
Mas foi! O povo parou

Olhámos-te um segundo:
M., és a melhor do mundo.

16 comentários:

M.enina das tranças pretas disse...

"Como era linda com seu ar namoradeiro
Até lhe chamavam menina das tranças pretas
Pelo Chiado caminhava o dia inteiro
Apregoando raminhos de violetas
E as meninas de alta roda que passavam
Ficavam tristes ao olhar o seu cabelo
Quando ela olhava com vergonha o disfarçavam
E pouco a pouco todas deixaram crescê-lo
Passaram dias e as meninas do Chiado
Usavam tranças enfeitadas com violetas
Todas gostavam do seu novo penteado
E asim nasceu a moda das tranças pretas
De violeteira já ninguém hoje tem esperança
Deixou saudades foi-se embora e à tardinha
Está o Chiado recheado de mil tranças
Mas tranças pretas ninguém tem como ela as tinha"

montra disse...

" O mistério é o olhar...
Num olhar, o que há é alguém que vem à janela de si e nos visita."

E...não passa despercebido.
Ele há cada manequim!

cá eu disse...

Cá eu, acho que qualquer manequim pode ganhar vida, quando é tão grande o encanto, atravessando "mari e fiumi"

pensamento da meia noite disse...

meravigliosa...

"A mentira é uma verdade que esqueceu de acontecer."
Mário Quintana

Será?

manequim disse...

Ao olhar o espelho;
os primeiros grisalhos...
os olhos cansados...
a pele mais fina...

marcas do tempo.

Recordações
de louros fios,
de olhos pequenos,
da pele macia...

marcas da vida.

Expressão cansada
dos anos vividos...
nas rugas perpétuas,
nos vincos dos lábios...
vida...demarcada...

marcas do tempo.

Ao olhar o espelho;
os grisalhos pintados...
os olhos delineados...
a base, o batom.

tempo da vida.

Anna Müller
"Reflexo do tempo"

Anónimo disse...

A reação do manequim deixa no poema o "toque de asa" e na referência ao objecto, distinta dama por certo, a vontade do seu conhecimento. Em Lisboa podem acontecer coisas assim, especialmente ao declinar da tarde, junto às sombras daquela baixa pombalina onde cada esquina acarreta uma descoberta. Mais que "quem" será a M., suspiro para saber "como" será a mulher (é de pensar assim)que abriu a boca ao manequim da montra

Anónimo disse...

Sobre a liberdade dos manequins:

"A vida é dolorosa numa posição estática. Tudo se vê passar e sujeitam-nos à obrigação minimalista da desrazoável posição de nada podermos reagir. passam donzelas pintadas com todas as cores do mundo e cavalheiros que retocam os lenços na lapela. Nada podemos dizer. Às vezes é tão sentido o nosso sentimento que parece explodir a vontade de nos libertarmos. E, notem que, ao mesmo tempo que nos obrigam ao silêncio, vezes sem conta deixam-nos pelados, à mostra de todos os passantes. Que incoerência. A revolta é cada vez mais necessária!"

XPTO

coisa tonta disse...

"Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo..."
Mário Quintana

"como" disse...

..."Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!"

Florbela Espanca

Meravigliosa disse...

Muchos mares y rios
Atraversaré
Dentro de tu tierra
Me reencontrarás
Remolinos y tempestades
Yo cabalgaré
Voltaré entre mlos rayos
Para tenerte

Maravillosa criatura estás sola al mundo...

Maravillosa disse...

molti mare e fiumi
atraversero
dentro la tua terra
mi retroverai
turbini e tempeste
io cavalchero
volero tra il fulmini
per averti

meravigliosa creatura sei sola al mondo
meravigliosa creatura paura di averti accanto
occhi di sole mi bruciano in mezzo al cuore
amore e vita meravigliosa

Calisto disse...

Sr Penasuave:
Só me faltava esta...falar em estrangeiro!
"Eu que não sei,
que posso aprender?"!
Afinal,desculpe a trapalhação,mas qual a versão verdadeira?
1-"eis que – coisa tonta!
O manequim acordou
E mandou-te um beijo"
ou:
2-" suspiro para saber "como" será a mulher (é de pensar assim)que abriu a boca ao manequim da montra"
3-Afinal "é mulher" ou "distinta dama"?.Mulher será de certeza,Deus assim as criou!

Calisto disse...

Eu vou atravessar
Muitos mares e rios,
Dentro da sua terra,
Você vai encontrar-me novamente.
Eu vou pedalar em
Tempestades
Eu vou voar entre relâmpago e trovão
Para tê-lo.

Maravilhosa criatura,
Você está sozinho neste mundo,
Maravilhosa medo
De tê-lo ao meu lado,
Queimadura no meio do meu coração
Eu adoro esta vida maravilhosa.
....blá,blá,blá!

Oh Sr Penasuave,desiluda-se;Senhora é,mas olhe que MOIRA!!!

A M disse...

Cruzam-se línguas e comentários cruzados
Moiras… de cabelos negrumados;
Ou pintados?
O manequim não sabe para onde se virar
- o autor… o que pensar.

Mamma mia!

“eu que não sei,
que posso aprender?”

Anónimo disse...

E o leitor o que pensará???

Anónimo disse...

"Levas a mão ao cabelo
Num gesto de quem não crê.
Mas eu não te disse nada.
Duvidas de mim? Porquê?"

Fernando Pessoa, Quadras