quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

lábios

Deixa que eu beije os teus lábios rotos
ansioso os vejo, carentes como poucos
deste reencontro pintado de vermelho.

Antes de te chegar, treino-me ao espelho
Antecipando receio de me imaginar velho

Os teus são só os meus, que ali emolduro
não vendo mais que meus se teus procuro
mas insisto em treinar-me pró reencontro
acreditando assim que teus não desaponto

Amanhã, muito cedo ainda, partirei
carregando juventude e longo estágio
e esses lábios que aos meus encostarei
são dos do espelho a carne de plágio.

Afinal, é apenas nosso o que expandimos
fingindo e sonhando ser pertença de outro
e tudo isso, nosso e não, ainda repartimos
deixando-nos, a nós, pedaços de tão pouco

3 comentários:

lábios vermelhos disse...

Deixe-se de treinos e estágios.
Não seja como o atleta que treina...treina...treina e nunca entra em campo.
Equipe-se, saia e ataque os primeiros lábios que se cruzem com os seus.

lábios diversos disse...

vermelhos...tudo bem! E rotos?

MMGV disse...

Não sei se é do stress...ou do exemplo dos pitbull...o facto é que o que é preciso é atacar,atacar...mas...a pena é suave,a diferença está na DIFERENÇA!