sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Espero, mesmo em Dezembro e à chuva


A chuva lavou das línguas as palavras quentes.
Dezembro é mês de melancolia e sem repentes.
Fica difícil soletrar-te sílabas coloridas.
A cor do sol encobre-se com a da terra.
Perdemos luz, mas ganhamos em vidas.
O nosso encanto é só um jogo de espera.

5 comentários:

Sim eu digo disse...

Oiiiiiii
Vou prolongar
até
2009
Natal legal!

Betty Branco Martins disse...

.olá________Augusto





obrigada pela visita e palavras. volte sempre:=)




andei a conhecer os recantos_____e





encantos_______do seu "espaço"






amei estar aqui!








voltarei:=)







beijO
bFsemana

Evelyn L. disse...

Aposto que o encanto de suas rimas não são meros jogos de espera.
São o tudo de mais encantador.
Um prazer imenso por aqui.

PB Pereira disse...

Diz bem, "O nosso encanto é só um jogo de espera." De esperas, diria eu, porventura menos autorizado nestas coisas da escrita.
Cumprimentos

Anja Rakas disse...

Dezembro, nestas terras quentes, é mês de suor, cumplicidade, risos fáceis, amores compreendidos, corações ao alto, danças eróticas de olhares brilhantes e bronzeados.

Dezembro aqui, é VIDA.

Bjs