sábado, 1 de novembro de 2008

ética e utilitarismo II

A senhora Brevoort, uma viúva, estava junto da piscina do clube quando avistou um homem muito atraente a apanhar sol. Aproximou-se e disse:
- Creio que nunca o vi por aqui antes.
- Não é provável - replicou o homem. - Estive preso durante trinta anos.
- A sério. Porquê?
- Assassinei a minha mulher.
- Ah - disse a senhora Brevoort. - Então é solteiro!

T. Cathcart, D. Klein, Platão e um ornitorrinco...

4 comentários:

psi disse...

Muito bem visto,Sra. Brevvort.

membro do clube disse...

E a Sra. Brevoort também era, de novo, solteira...
Só não se sabendo se por desgraça alheia ou por vontade própria...como o atraente homem.

AugustoMaio disse...

Haverá sempre um misto entre a (des)graça alheia e a (en)graça própria.

nádia monteiro disse...

admirável a capacidade das pessoas se adaptarem, à sua maneira, às vissicitudes da vida :)