domingo, 9 de novembro de 2008

O poema e o desejo

oooooo"Falei do corpo mas poderia
igualmente falar do desejo.
oooooO desejo não morre na poesia,
como o atesta o maravilhosa frase de
René Char: o poema é o desejo de
amar que se mantém desejo."
oooooooo
oooooo"Se a ausência ou o vazio e o in-
compreensível são constantes da
minha poesia, será unilateral e falso
considerar que esse carácter não é
também o da realidade nas suas
contradições."
000000
ooooo"Penso numa linguagem descon-
certantemente simples, falsamente
transparente, um pouco tosca /
Térrea e pétrea / E aí brilha uma lâm-
pada, uma pedra, o ar / Uma lingua-
gem de restituição."
000000
ooooooooooAntónio Ramos Rosa
(na contracapa d'A Intacta Ferida, Relógio D'Água, 1991)

1 comentário:

♀ Venus disse...

O poema é a continuação do desejo...

Gostei do palavreado, do pensamento poético.

Beiju