sábado, 8 de novembro de 2008

Coliseu dos Recreios, 2004

Desconhecerei - para sempre? -
essa arte de tornar presente
a mais pura e inesperada ausência.
Não sei explicar melhor.

Horas depois, na penumbra
de um bar fechado, alguém
me obrigou a escrever o seguinte:
"os nossos filósofos e historiadores
(raiz quadrada) são os
nossos compositores e intérpretes".

talvez seja isso - a pior manhã
que nos encontrou vivos,
a morte que não se diz

quando apenas o cavaquinho sabe
que nenhuma voz regressa.

Manuel de Freitas, Cretcheu Futebol Clube

2 comentários:

Anónimo disse...

Impressionante a variedade dos seus interesses literários.Parabéns e bem haja pela possibilidade de nos tornarmos curiosos sempre.

pico minha ilha disse...

Magnifica variedade de escritos que encontrei por aqui.Obrigada por sua visita, e como diz o Pico é assim mesmo um dia de chapéu outro de neve e por ai fora se é exagero, acho que não.Abraça da ilha.S.A