quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Saudade



O regresso, em grego, diz-se nostos. Algos significa sofrimento. A nostalgia é portanto o sofrimento causado pelo desejo insatisfeito de regressar. Para esta noção fundamental, a maior parte dos europeus podem utilizar uma palavra de origem grega (nostalgia, nostalgia) e além disso outras palavras com raízes na sua língua nacional: anoranza, dizem os espanhóis; saudade, dizem os portugueses. Em cada língua, estas palavras possuem um matiz semântico diferente. Muitas vezes significam apenas a tristeza causada pela impossibilidade de regresso ao país. Recordação dolorosa do país. Recordação dolorosa do lugar. O que em inglês se diz: homesickness. Ou em alemão: Heimweh. Em holandês: heimwee. Mas trata-se de uma redução espacial da grande noção. Uma das mais antigas línguas europeias, o islandês, distingue bem dois termos: soknudur: nostalgia no sentido geral; e heimfra. A recordação dolorosa do país. Os checos, a par da palavra nostalgie vinda do grego, têm para a noção o seu próprio substantivo, stesk, e o seu próprio verbo, a mais comovente expressão de amor checa: styska se mi po tobe: tenho nostalgia de ti; não posso suportar a dor da tua ausência.

Milan Kundera, A Ignorância, 2

6 comentários:

top ten penny stock disse...

yeah! its much better,

peter penny stock disse...

im your favorite reader here!

Lisa disse...

Ok acho que acabei por por um comentário enganado...Mas tb não acho que me enganei..brrrrrr quando são vários os autores do blog é o que dá..:-)
Espero que este seja para o autor,
augustomaio..
O agradecimento será o mesmo e já agora o abraço tb:-)
Lisa

AugustoMaio disse...

Lisa:
Na boa,pu seja, está sempre bem. E o "até à volta" até estava mais propício ao regresso.
Abraço.

Passiflora Maré disse...

Caro Augusto, sempre as mesmas cumplicidades.
"Em espanhol, anoranza vem do verbo anorar (ter nostalgia), que
vem do catalão enyorar, derivado, por seu turno, da palavra latina ignorare (ignorar). A esta luz etimológica, a nostalgia aparece como o sofrimento da ignorância. Tu estás longe, e eu não sei o que te acontece."
Do mesmo autor e livro.

leve disse...

A saudade portuguesa e outras semelhantes das outras línguas vieram muito oportunas na comemoração da primavera e nesta insustentabilidade... Com isto, sinto-me tão leve!