segunda-feira, 2 de junho de 2008

Vida

qual o sentido, se em paralelo sigo
qual é o perigo, de assim o perder
não escolho o lado... vou contigo:
assim é pr'o que der e vier...

7 comentários:

Teresa de Sousa disse...

A AugustoMaio
Suave é a pena que oferece palavras que abrem túneis no destino, constroem pontes no tempo, reinventam paisagens no espaço...
Como sabes, há muitos anos que profiro o teu verdadeiro nome. Já conhecia os teus dons na narrativa (gostei!), conheço-te agora atrvés da lírica (gosto!) e penso que nunca te conhecerei em drama (não vou gostar!; convenhamos que não é o/do teu género).
Pena que a minha pena não seja tão suave quanto a tua! Mas é a que tenho e que (se assim o entenderem) chegou para, de quando em quando, aqui escrevinhar...

AugustoMaio disse...

OK. Tk.

Anónimo disse...

Caro Augusto "vou contigo" já é escolher. Às vezes escolher perigosamente e com uma tremenda responsabilidade existencial e sentido de abnegação ou de rebelião, ou...
Padmé

AugustoMaio disse...

Sim, tudo é. Escolher e não escolher.

J disse...

Cara T de S:

Pois… fiquei encoberto, coberto de admiração pela ousada síntese do AM. Merecia mais, é claro. O cavalheiro deu-lhe para tanto e o quanto lhe ensinei parece agora perdido. Umas rimas de elástico, não são minhas; umas fantasias coloridas, por igual. Já o avisei, mas de pouco serve: crescem um pouco, ganham autonomia e julgam-se capazes. Rogando as desculpas imerecidas, fica o meu agradecimento. O AM, esse terá dias mais longos!

Anónimo disse...

E...L não disse nada???

J disse...

L de JL?
J é J de JEA.
Não de JL.
AM - J.
JL - ?