segunda-feira, 2 de junho de 2008

Menos ais...

Sou um adepto incondicional da Selecção Nacional.
Para mim, não importa que as vitórias que obtemos dentro das quatro linhas venham a substituir outras, mais precisas, que teimam em não aparecer. Ao menos estas, ninguém nos tira!
Para mim, as vitórias da Selecção vão representando aquele orgulho que vimos de perder em tudo o resto.
E mesmo que nos acusem de adormecer enlevados pelo ópio de coisa tão pretensamente espúria e inútil - porque não nos faz, de maneira nenhuma, "andar para a frente" -, eu digo que tal pouco importa.
É que, para todos os efeitos, são essas vitórias, esse percurso que nos habituámos a ver como vitorioso, de há quatro anos a esta parte, o que nos dá algum alento por alguns dias, ainda que breves.
Por outro lado, mesmo na hora das derrotas conhecidas, também soubemos sofrer tragicamente, com dor no peito e poucas palavras, já de si embargadas, num sentimento que é apenas nosso.
De qualquer modo, o mais importante de tudo reside precisamente no facto de talvez poder ser por aqui que comecemos a cumprir Portugal.
Porque o orgulho nunca fez mal e ser-se patriota é uma coisa até muito simples... Basta sentir e viver!

5 comentários:

julioletras disse...

O título é um mimo. Cheio de classe.
No mais, acompanha-se o desejo das maiores venturas. Claro que o exagero, às vezes, é isso mesmo, exagero. Mas mais sintoma do que causa.
Boa Sorte.

ViriatoFCastro disse...

Concordo com a parte do exagero. Mas mesmo esse muitas vezes é proporcional ao sofrimento de quem já tem tanta "dor" para suportar. É apenas um caminho possível para iniciar qualquer coisa de maior, em termos de auto-estima, serena e razoável... para que o "complexo da Eurovisão" desapareça por completo. De qualquer modo, e sem contradição, eu próprio sou um céptico induzido, na medida em que estou sempre à espera do pior e depois logo me alegro em excesso, ainda que controlado. Mas isso sou eu, que gosto de sentir a crista da onda, quando toca às paixões da alma.

Anónimo disse...

Olhem e que tal o "reviralho"?
Não á "anestesia" futebolística! Não ao "ópio do povo"!
Não à manipulação piegas do povo!
Não ao futebol profissional!
Não aos obscenos quantitivos remiuneratórios de treinadores ululantes, de jogadores ignorantes!
Levanta-te, povo e exige o que é teu !!!!

ViriatoFCastro disse...

Mas o importante é que o povo até já exige de Ronaldo aquilo que quem manda não consegue dar: um gooollooooooooooooo!!! A bem de todos! A bem da Nação! A bem de Portugal! Seja lá o que isso for! E Ronaldo dá! E Ronaldo marca! Não vejo qual o pecado de tanta pretensa falta de "sabedoria". É o que nos resta. Apenas isso quis mostrar. E a verdade, é que nem isso há-de durar muito. Com sentida pena minha, hão-de regressar daqui a quinze dias...

Anónimo disse...

E, então, Viva portugal.