quinta-feira, 10 de abril de 2008

Sonho

Sonhei com aquela que mais perto esteve, enquanto esperávamos numa plataforma de metro, por uma ligação para a Ilha do Sal. A viagem pouco custou…

7 comentários:

ilha disse...

"Qualquer coisa de obscuro permanece
No centro do meu ser. Se me conheço,
É até onde, por fim mal, tropeço
No que de mim em mim de si se esquece.

Aranha absurda que uma teia tece
Feita de solidão e de começo
Fruste, meu ser anónimo confesso
Próprio e em mim mesmo a externa treva desce.

Mas, vinda dos vestígios da distância
Ninguém trouxe ao meu pálio por ter gente
Sob ele, um rasgo de saudade ou ânsia.

Remiu-se o pecador impenitente
À sombra e cisma. Teve a eterna infância,
Em que comigo forma um mesmo ente."

Fernando Pessoa
(Dream)

Anónimo disse...

Ele pensa noutra e está com ela, ele pensa nela e está com outra...a eterna (in)felicidade, parece-me.

Anónimo disse...

A casa de banho estava disponóvel?
Anínimo anónimo

aquela disse...

"Bastam-me as cinco pontas de uma estrela
E a cor dum navio em movimento
E como ave, ficar parada a vê-la
E como flor, qualquer odor no vento.

Basta-me a lua ter aqui deixado
Um luminoso fio de cabelo
Para levar o céu todo enrolado
Na discreta ambição do meu novelo.

Só há espigas a crescer comigo
Numa seara para passear a pé
Esta distância achada pelo trigo
Que me dá só o pão daquilo que é.

Deixem ao dia a cama de um domingo
Para deitar um lírio que lhe sobre.

E a tarde cor-de-rosa de um flamingo
Seja o tecto da casa que me cobre
Baste o que o tempo traz na sua anilha
Como uma rosa traz Abril no seio.

E que o mar dê o fruto duma ilha
Onde o amor por fim tenha recreio."


Natália Correia, in Passaporte

meio de transporte disse...

A Viagem pouco custou...
E Afinal o que é que custou realmente?

paulo anjos disse...

A casa de banho estava amarguradamente ocupada... E o que custou mais foi o facto de termos chegado, independentemente da nossa vontade...

sem preço disse...

"As cinco pontas de uma estrela"...se possível, do MAR!