domingo, 6 de abril de 2008


Queria sair
Do mundo que entijola;
Queria fugir
Desta caquéctica gaiola
Onde se escondem sabores
Gastos de esperas ocas
Gozados na ilusão d’amores
A fingir de entregas moucas

3 comentários:

Anónimo disse...

Tanta decrepitude, não ? ( a casa está em ruínas )..

VM disse...

"Queria dizer o teu nome e não consigo
Queria partilhar contigo, minha alegria, meu sofrer
Queria tanto saber de ti, nesta hora que não termina,
Nesta hora que me desanima..."
VM
Para sair é presiso mudar,
Para sair é preciso gritar
Será que estás aí?
Oh espera infinita...

Anónimo disse...

"Tu que dormes, espírito sereno,
Posto à sombra dos cedros seculares,
Como um levita à sombra dos altares,
Longe da luta e do fragor terreno.
Acorda! É tempo! O sol, já alto e pleno
Afugentou as larvas tumulares...
Para surgir do seio desses mares
Um mundo novo espera só um aceno...
Escuta! É a grande voz das multidões!
São teus irmãos, que se erguem! São canções...
Mas de guerra... e são vozes de rebate!
Ergue-te, pois, soldado do Futuro,
E dos raios de luz do sonho puro,
Sonhador, faze espada de combate!"

Antero de Quental