quarta-feira, 30 de abril de 2008


5 comentários:

Anónimo disse...

E na azul piscina, quem sabe, inerte cairia.

Olharia de céu e podia espreitar o infinito
Sem um só grito
chamaria por ti.
Ali ao meu lado,
todo o tempo parado.

E um abraço, quem sabe?

Anónimo disse...

Gostava de me deitar ao Sol
e apostar quem venceria
eu ficava ali sossegado e mole
e ele não tinha mais que um dia.

Anónimo disse...

Vou-me deixar na luiz intensa
que me confunde a manhã com o dia
espreguiçar-me, como quem nem pensa
e para quem tudo é alegria.

Vou esperar que os teus raios me inundem

Anónimo disse...

Sou eu.
Sou eu que continuo
a querer banhar-me nesse sol
e a inundar-me de mar,
abraçando o dia por inteiro
só, só mesmo a respirar.

banho disse...

Já estava com saudades de azul, desta beleza. e, se calhar, já estava a necessitar de tomar um banho. Especialmente se fosse desses, mistura de Céu e de Terra.