sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Sans titre


3 comentários:

Anónimo disse...

AM
Apesar de não deixar que eu ponha o meu comentário na mensagem anterior, quero deixá-la por aqui -vergo-me em homenagem do AV, ele que tão cedo desta vida se apartou.
Aos anjos!

j.e.a. disse...

Nada é anónimo na lembrança. Talvez porque a própria lembrança o tenha que ser.

Resolveu o destino que, logo hoje, importava apagar a luz durante cinco minutos.

Só posso pensar ser em razão das luzes que nunca apagam.

Abraço.

Anónimo disse...

Obrigado pelas luzes. E pela falta delas.
Abraço