sábado, 25 de dezembro de 2010

Gosto...

Gosto do amarelo com que
ponteias de cruz o azul do céu
rendilhando o sol destes afectos;
gosto de te ver ao sucumbir da tarde
quando a melancolia nos desce aos braços
(que se revoltam em dizer adeus);
e gosto desses lábios d'espuma
(que sempre me adivinham o mar)
como se fossemos náufragos escondidos
no abraço que une o som
dos corações inquietos.

4 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Gostei do poema.

Saudações natalícias

AugustoMaio disse...

Bem haja.

Bom Natal.

Petra Maré disse...

Belo Poema, Augusto.

Agora esperamos o Novo Ano para tudo voltar ao habitual...
Um Abraço.

Vieira Calado disse...

Olá, amigo!


E agora passado que está o Natal

venho desejar-lhe

Bom Ano de 2011!

Um abraço