domingo, 12 de julho de 2009

Tombam pesadas as tuas leves pétalas

Deixei de apanhar as pétalas
da flor que me abandonaste
no dia
quando chorei as letras do
bilhete esquecido na mesa da cozinha.
Quando murchou a derradeira, festejei.
Não sei o quê, não sei para quê...
Disse-me que ganhei a liberdade
mas a liberdade é tão impúdica
no linho do lençol que sobra.

1 comentário:

Peregrina disse...

Que bonito... :)