sexta-feira, 15 de maio de 2009

aviso

aviso-te que os sinos não dobram,
muito que queiras, e não sobram
no altar das bebedeiras mais momentos
que gastos recatos. nem melhores pensamentos
valem os passos dos sapatos. podes crer
que o mundo é colorido, que sempre vais saber
que o perigo é um segundo. E morrer
só apenas (santos dilemas!) o fechar
de olhos de um novo respirar.

4 comentários:

vi disse...

Completamente rendida!...
Gostava muito de o conhecer.

AugustoMaio disse...

À Cara Vista (que assinando "vi" só pode ter visto):

Muito longe da (que seria) arrogante comparação, diz a história, pelo menos a literária, que o Sr. Nogueira P. terá combinado um encontro (creio que para uma entrevista) e acabou por aparecer o Sr. A. Campos, o que terá deixado muito desiludido o entrevistador.

Serve o exemplo para evitar outras desilusões e para acrescentar - afinal pelo que diz - que já me conhece.

Com efeito, não sabendo se chego a tanto, tenho a certeza de não ser mais do que escrevo.

E, por outro lado, um desejo só se mantém se continuar por cumprir!

Mas gostei muito de ter gostado e volte sempre (até porque, amiúde, estou seriamente a brincar)

Passiflora Maré disse...

Quem assim escreve não lhe faltam as letras, nem os dedos...
Caro Augusto também eu partilho o desejo da Srª "Vi", num sentido de conhecer aquele que lhe dá forma, mas a verdade é que o conheço e muitas vezes adivinho-o.
Passe bem!

AC Rangel disse...

Vale o alerta de que santas bebedeiras servem para expurgar demônios de garras curtas que teimam em, nossas almas aprisionar.
Parabéns e obrigado.

Rangel