sábado, 21 de março de 2009

poema escrito num fim de tarde deste março

2 comentários:

Passiflora Maré disse...

Belo poema este, onde se esconde a infância atrás das árvores, as esmurradelas nas pedras do caminho, a as correrias na liberdade do trânsito.
Um abraço.

Dedalus disse...

Lindo o poema, que tanto, tanto diz!