sexta-feira, 28 de novembro de 2008

memória refeita nas folhas tombadas (variação I)

Ainda trago os flocos de saudade
(além da idade... -
envoltos nos trapos de
um coração ausente)
e, de repente,
cirzo as lembranças
esfiapadas
dos retalhos de um sorriso antigo
- é contigo;
ele que me faz das memórias
um arco-íris.
Foi quinta-feira e
choveu oiro
nas cores sobrantes do verão indiano
(não é assim, contigo, todo o ano?)
que te espelha o brilho no da terra.
Gosto é dos amarelos.
Só para não ter que sonhar
os teus cabelos.

5 comentários:

DamaBrilhante disse...

Hummm.....

nádia monteiro disse...

adorei :) obrigada pelos comentários, vejo que é um "espectador" assíduo do meu blogue, tal como sou do seu... beijinho

Passiflora Maré disse...

Folhas caídas,
memórias coloridas,
cores sobrantes no jardins depois da monção...
Os odores do açafrão e do gengibre
E a elegância de quem envolve a saudade em trapos de um coração ausente...
amarelo oiro...
Parabéns, caro Augusto, pela sua (e dele J.E.S.S.A) elegância plena.

Anónimo disse...

realmente, muito bonito.

cores disse...

Lindo, lindo, deixando que se vejam as cores como numa bela pintura