quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Belo dia (1965)

PARABÉNS

10 comentários:

Lembrança disse...

Parabéns para uns e saudades para outros!

Faz hoje 30 anos que Jacques Brel faleceu...

E de facto, quem acompanhou a sua carreira, nunca o esquecerá!

Saudades

AugustoMaio disse...

Obrigado pela lembrança. A vida é assim, como uma estação, feita de partidas e chegadas.

Quim disse...

Pois, a vida é como uma estação de combóios.

TAP disse...

Ou como um aeroporto.

Comboio disse...

As estações de comboio estão como as estações do ano: imprevisíveis.

A de Coimbra-B é como a do Oriente, nem sei porque se fala em obras, já que, em alguns aspectos, até é mais abrigada.

BREL É BREL...SEMPRE

LA disse...

WHAT A WONDERFUL WORLD
(George Weiss / Bob Thiele)

I see trees of green, red roses too
I see them bloom for me and you
And I think to myself, what a wonderful world

I see skies of blue and clouds of white
The bright blessed day, the dark sacred night
And I think to myself, what a wonderful world

The colours of the rainbow, so pretty in the sky
Are also on the faces of people going by
I see friends shakin' hands, sayin' "How do you do?"
They're really saying "I love you"

I hear babies cryin', I watch them grow
They'll learn much more than I'll ever know
And I think to myself, what a wonderful world
Yes, I think to myself, what a wonderful world

Oh yeah

30 Anos disse...

Em homenagem ao Jacques: Ne me quitte pas

http://www.youtube.com/watch?v=shjCk6Y8m6c

Marta Vasil disse...

Sei que vou passar aqui muito tempo (será isto ócio!?...), porque o que vi e li deslumbrou-me. É blogue para "tocar" nas pessoas, quer a porta esteja aberta, entreaberta...

MV

AugustoMaio disse...

Obrigado pela letra e pelas lembranças de Brel.

AugustoMaio disse...

E obrigado também, MV.