segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Porto Santo


As nuvens beijam por teimosas
o sal dos teus reflexos
e insistem em não te pingar suor.

Mas há dias:
hoje vejo o som da chuva
no espelho dos teus olhos.

O mar agradece-te
num manto azul e verde.

Eu vou;
hei-de beijar de sal
os lábios secos da tua esperança
.

6 comentários:

Passiflora Maré disse...

Caro Augusto adorei o poema sábio, da comunhão entre a chuva e o verde e as belas associações do suor, das lágrimas, dos lábios secos!

Anónimo disse...

Belo poema e imagem a condizer.

Oi disse...

que belezura... será desta?!

Anónimo disse...

Muito bonito.

AugustoMaio disse...

será desta?!
Oi, sei lá...

Anónimo disse...

Encantos.