quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Hugo Pratt

Hugo Eugenio Pratt nasceu em 15 de Junho de 1927, na praia de Lido di Ravenna, Rimini na Itália e faleceu a 20 de Agosto de 1995 na Lausana, Suíça. Foi um autor de Banda desenhada italiano, criador de inúmeras personagens, das quais se destaca especialmente Corto Maltese.

Em 1945 conhece o desenhador Mario Faustinelli, e inicia-se na BD, faz parte do "grupo de Veneza", com Alberto Ongaro, Damiano e Dino Battaglia, entre outros. A sua colaboração na revista Asso di Picche, vale-lhe um convite para trabalhar na Argentina, para onde viaja em 1949, regressando em 1962.
Em 1967, apôs cinco anos difíceis, conhece Florenzo Ivaldi, um empresário genovês que adora BD. Decidem lançar uma nova revista mensal, Sgt. Kirk, onde aparecem as primeiras pranchas de “Una Ballata del Mare Salato” (A Balada do Mar Salgado), com um personagem, Corto Maltese, na altura ainda um personagem secundário. A publicação da revista seria interrompida 30 números depois em Dezembro de 1969.
A série de Corto Maltese continua três anos depois na revista francesa Pif. Entre Abril de 1970 e Abril de 1973 publica 21 episódios, hoje agrupados nos ciclos Sob o Signo do Capricórnio, Corto sempre um pouco mais longe, As Célticas e As Etiópicas
A partir da segunda metade dos anos 70 e nos anos 80, Hugo Pratt desenvolve novas aventuras de Corto Maltese, que o consolidam como um dos grandes criadores do século XX.
Derivado dos seus conhecimentos de história e de uma capacidade de pesquisa exaustiva muitas das suas histórias estão colocadas em momentos determinados por acontecimentos relevantes (a guerra de 1755 entre os franceses e colonos britânicos em Ticonderoga, guerras coloniais em africa e ambas as guerras mundiais) e por alguns personagens que são figuras históricas ou bastante semelhantes, como o principal adversário de corto, Rasputin.
A convite de George Rieu, chefe de redacção da revista francesa Pif. desenvolve também a série os Escorpiões do Deserto. Colabora também como o seu amigo e pupilo Milo Manara em diversos títulos como, por exemplo, El Gaucho

2 comentários:

AugustoMaio disse...

Grande post.

Dedalus disse...

Este blog tem sempre a memória em atenção. Sempre oportuno. Gostei.