terça-feira, 27 de maio de 2008

Geek Review, Tour de Blog

A recuperar um conceito que encontrei aqui (este, um post entre muitos que a senhora bibliotecária intitula de, precisamente, "tour de blog") , venho, como não podia deixar de o fazer - por razões sobejamente conhecidas de quem me é próximo -, venho, dizia, dar conta de um achado em que tropecei numa sessão de login na blogosfera.
De facto, para um fã confesso da série de ficção científica "Battlestar Galactica" (desde os seus primórdios, logo ali, no início dos anos oitenta, finais de setenta) o blog que, por estes dias, é tido como digno de nota pela equipa deste nosso "bem-amado" servidor, revela-se como a excelente combinação dos ingredientes necessários à ficção científica, no sentido de se afirmar enquanto manifestação cultural séria e coerente; longe, pois, de qualquer juízo pejorativo e redutor que a possa remeter para uma "coisa-de-tótós".
The Sience of Battlestar Galactica propõe-se, assim, dar uma sólida visão mais "pop" (e naturalmente também "geek" com estilo, claro) - o que aqui está longe de ser algo de negativo - sobre variados temas científicos, que vêm servindo de base aos episódios da nova série épica.
As próprias estórias que ali se contam, servem aqui de mote para umas quantas glosas sobre astronomia, biologia, química, física, etc.
Na minha opinião, "a very nice treat", ficando aqui a deixa: "Some believe that Science began here..."

12 comentários:

Passiflora Maré disse...

Também eu sou fã da série e com início na mesma época. Só não me lembro se primeiro comecei a ver esta Série, ou a do "Espaço 1999".
Tenho até como certo para mim que muita da curiosoidade em mim instalada sobre strofísica,física, química, biologia, astronomia, se ficou a dever à verdadeira idolatria que tinha por estas séries. Na minha geração (sem pretender ser redutora) havia mais ou menos uma divisão: os dos policiais e os da ficção científica (nos chamados géneros ligeiros).

Anónimo disse...

Um belo post. Vou ficando cada dia mais fâ do universo e da ficção científica.

AugustoMaio disse...

Também eu. E como o ilustre postador é um verdadeiro especialista, resta aguardar novas - e galácticas - viagens.

Mariana disse...

A minha pergunta é:
Quem é o cylon que falta?

AugustoMaio disse...

Será uma boa pergunta?
Eu só estou a começar!

ViriatoFCastro disse...

Passiflora: Um apontamento de memória, de acordo com o que me lembro dessa minha meninice que, ao Sábado, encontrava o tecido de sonhos fantásticos e momentos bem passados em frente ao écran. O "Espaço 1999" terá vindo depois da Galactica, na antena indolente da RTP - que, tanto um como o outro programa, por vezes retirava do ar (o que me deixava furibundo e a chorar de raiva). O que é certo, segundo alguns, é que o Martin Landau - comandante John Koenig -, levou a sua base lunar Alpha para os confins do Espaço porque uma certa produtora britânica decidiu reagir ao sucesso da Galactica e criar uma série própria, made in England. Depois de ambas, veio aquela outra também muito interessante, ainda que colagem de algo mais antigo - Buck Rogers no Séc.XXV. Lembra-se? O protagonista era sempre acompanhado por um robozinho que apenas dizia "diri-diri" e trazia outro, circular, ao peito, mais inteligente e conversador. Tinha boas naves e boas cenas de combates também. Datando a coisa como deve ser, nota-se a indelével marca dos anos setenta na produção, embora já com as nuances da época seguinte.
Por outro lado, também do Glenn Larson, produtor da Galactica, veio o Automan - o Homem Automático - o homem de azul, holograma de nascença que tinha uma estrelinha que lhe fazia aparecer a viatura, o helicóptero ou qualquer outro objecto de que ele necessitasse para fazer frente aos inimigos do polícia tótó que o tinha criado nos "poderosos" computadores da Polícia de LA. Depois daí para a frente, já se sabe, foi o Knight Rider e o David Hasselof que deram cartas.

anónimo: um grande bem haja! O seu interesse o maior reconhecimento que pode dar a quem se interessa por tais temas.

Caro Augusto e Mariana: a pergunta é excelente! Eu tenho para mim que o último Cylon seguirá a doutrina de Conan Doyle e será a personagem mais insuspeita possível. O tenente Geyta ou até mesmo a coitadinha da Dualla. De qualquer modo, até que aposto neste novo e latino Capitão Adama (John Olmos) - muito diferente do nosso Lorne Green que depois se passou para o Bonanza, a fazer de pai daquele, por sua vez, pobre rapaz que tanto sofreu às mãos do seu irmão JR Ewing, já no Dallas.

Mas, lá está. É no culto geek que eu entendo estar o ganho. Um bem haja!

Six disse...

Cá para mim, o último cylon é o Sócrates.

Mariana disse...

Nããã... Não me parece que seja a Dualla. Estou mais inclinada para o Gaeta.

ViriatoFCastro disse...

Augusto: está a iniciar muito bem, meu Caro! Seremos de bom grado os seus guias pelo nosso Universo (geek). Um Grande Abraço!

Mariana disse...

O mundo será geek um dia!

ViriatoFCastro disse...

Six: o Sócrates??? Eu não sei, mas acho que entretanto, o Richard Hatch - na nova série, o Vice-Presidente das Colónias, Tom Zarek, e na antiga o bom Apollo, filho de Adama e companheiro do Face, dos Soldados da Fortuna, porque na Galactica, lá está, Starbuck - acho que, dizia, já entretanto lhe deve ter feito "a folha".

Como se daria Sócrates no "Outer Space"?

Six disse...

Sim, o Sócrates, será o último modelo unificador de cylons e humanos na luta contra ele mesmo.