sábado, 8 de março de 2008



Subo onde, se te não vejo?

6 comentários:

Anónimo disse...

Descobrir uma Mulher no vão de uma escada, no(s) dia de hoje, vai ser difícil...que tal tentar noutro lugar?! É só uma ideia.

A M disse...

Não posso deixar de concordar com a dificuldade que, com sabedoria, é apresentada. Nos dias de hoje, com efeito, não pode deixar de ser muito difícil. Apreciei também a inteligência que transparece na identificação do "objecto" procurado: uma Mulher. Não se tendo dito, só pode ser isso. É aí que a procura se transforma em empresa difícil. É verdade que espreitei até ao fundo, mas apenas na foto seguinte que, reconheço, não dá todo o ângulo pretendido.

Seja como for, o ilustre conselheiro(a) envia-me uma espécie de conceito em branco: a ideia é procurar em local diverso, mas não se indica onde... Mas é só uma ideia e, como todas as que chegam por bem, devem ser agradecidas. É o que faço, tanto mais que, melhor que esconderijo certo, é a busca em si mesma, mormente se de Mulher se trata.

César Paulo Salema disse...

No vão de uma escada, repousa o cotovelo do mundo - podem lá estar escondidas as ditas fêmeas, alguns felinos, predadores também, e sobretudo, as horas perdidas pela consulta que não chega...
Gostei do instantâneo, pelo vazio abstracto do conceito, pela não-fotografia, no fundo.
Estás um óptimo fotógrafo, A.M., além de cada vez melhor escriba.

vais varrer ou vais voar disse...

Caro am

Talvez a "verdade" não se encontre ao fundo mas...no cimo.

Suba até ao limite do último degrau - se necessário até ao telhado - e espraie o seu olhar e a sua mente.
Numa varanda, num terraço, numa núvem ou, quiçá, numa vassoura "ela" se reflectirá no seu olhar.

A M disse...

Muito boa.

A M disse...

E depende da vassoura, claro!