sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Ascensão

Porque, de alguma forma, esperávamos ascender a algo, entramos os três no elevador…
Ele desejava-a… tentava disfarçar o desejo por detrás e brincadeiras, mas, no fundo tudo o que ele queria era atear-lhe o fogo que o consumia.
Ela, falsa como sempre, fingia não perceber (era imperioso não perceber) o desejo dele. Fingia aceitar as “brincadeiras” dele como brincadeiras, mas, no entanto, não conseguia disfarçar o ardor que lhe humedecia as entranhas. E eu encostado num canto, ignorado pelos dois, senti que a minha ascensão seria sempre algo estranho, apenas uma fracção de mim próprio.

1 comentário:

A M disse...

Carecia este dizer que lhe ascendesse um comentário. Porque, de alguma forma ..."esperávamos ascender a algo". E esperamos! Mesmo que o ardor não seja de entranha, vai-se andando - e lendo - e (já) se não estranha.
E lindo é que uma fracção de cada um, que cada qual é,seja uma ascensão sentida.